Institucional > FIEP

Índice de confiança do industrial paranaense sobe 3,1 pontos em dezembro

O Índice de Confiança da Indústria de Transformação do Paraná (ICIT-PR) subiu 3,1 pontos em dezembro em comparação a novembro. Com isso, pelo sétimo mês consecutivo o índice permanece na área do otimismo, situando-se em 60,4 pontos, conforme aponta pesquisa realizada pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep).  O indicador varia de 0 a 100. Quando acima de 50 pontos o índice revela otimismo e abaixo de 50, pessimismo. O índice está 13,2 pontos acima da média histórica.

O aumento do ICIT-PR foi decorrente principalmente do acréscimo de 3,6 pontos no Índice de Expectativas, que atingiu a 62,1 pontos neste dezembro. O Índice de Condições subiu 2,3 pontos, chegando a 57,1 pontos, permanecendo na área de otimismo por quatro meses consecutivos.

Estes dois índices, o de Condições e o de Expectativas, compõem o ICIT-PR que atingiu a 60,4 pontos. O Índice de Confiança da Indústria de Transformação – Paraná é composto pelo índice de Condições (peso 1),

que atingiu 57,1 pontos em dezembro (54,8 em novembro), e pelo Índice de Expectativas (peso 2), que alcançou 62,1 pontos em dezembro (58,5 em novembro).

O Índice de Condições (57,1) é composto pelo índice Pessimismo

Indiferença Otimismo de Condições da Economia (58,3) e pelo índice de

Condições da Empresa (56,4); o primeiro apresentou, em dezembro, aumento de 4,5 pontos e o segundo de 1 ponto, evidenciando melhora nas condições da economia e nas da empresa. O índice de condições da economia está na área de otimismo há quatro meses.

Construção – OICIC-PR (Índice de Confiança da Indústria da Construção do Paraná) subiu 7,1 pontos neste mês de dezembro, situando-se na área de otimismo pelo sexto mês consecutivo, desta vez, situando-se em 65,2 pontos. O ICIC-PR neste dezembro está 21,5 pontos acima de dezembro de 2016 e 8,2 pontos acima do ICIC-PR histórico. As condições da economia e da empresa entraram na área de otimismo em setembro. Quando comparado este dezembro com dezembro de 2016, verificam-se aumentos de 34,1 e de 18,3 pontos, respectivamente. Desta forma, o Índice de Condições apresentou aumento de 7,1 pontos em dezembro quando comparado com novembro, ficando 21,5 pontos acima de dezembro de 2016. O Indicador de Condições está na área de otimismo por quatro meses consecutivos.

O Índice de Expectativas (67,1) é, por sua vez, composto pelo índice de Expectativas da Economia (65,2) – quatro meses consecutivos na área de otimismo) e pelo índice de Expectativas da Empresa (68,1); o /primeiro subiu 9,7 pontos e o segundo 7,3 pontos em relação a novembro. Quando comparados com dezembro de 2016, verifica-se acréscimo de 24,3 e de 18,6 pontos, respectivamente, evidenciando melhora nas expectativas da economia e nas da empresa em relação ao ano de 2016.

Nos últimos três meses, o Índice de Expectativas vem apresentando oscilações, situando-se, porém, na área de otimismo pelo décimo primeiro mês consecutivo.

 

About Author