Vozes do Amanhã apresenta ideias inovadoras de alunos do Sistema Fiep

Alunos do Colégio Sesi, Senai e das Faculdades da Indústria no Paraná tiveram 10 minutos para apresentar seus projetos

Com o objetivo de disseminar boas ideias e mostrar as possibilidades de projetos que podem resolver problemas reais, a primeira edição do evento VOA – Vozes do Amanhã, promovido pelo Sistema Fiep, emocionou o público. O evento aconteceu na noite da última quinta-feira (16) e contou com a presença do jornalista, radialista e escritor com mais de 150 mil livros vendidos, Marcos Piangers. O jornalista, acostumado a palestrar nas conferências TED e TEDx, que têm um formato de apresentações curtas, foi o responsável por fazer uma prévia dos cases de cinco alunos do Sistema Fiep (Colégio Sesi, Senai e das Faculdades da Indústria), que pela primeira vez subiram ao palco de um grande auditório para apresentar os projetos desenvolvidos em sala de aula.

Cada aluno, assim como nas conferências TED e TEDx, tinha apenas dez minutos para apresentar a ideia e como recurso adicional poderia fazer uma apresentação de apoio com, no máximo, 20 slides.

“Mesmo com o nervosismo, que é natural ao se apresentar para um grande público, nada aqui foi ensaiado. A metodologia de ensino do Sistema Fiep estimula os alunos a trabalhar com resolução de desafios e com a criação de projetos para solucioná-los. O VOA surgiu para que pudéssemos dar visibilidade a essas boas ideias que facilmente podem sair da sala de aula e ajudar muitas pessoas”, disse a gerente-executiva de Educação do Sistema Fiep, Giovana Chimentão Punhagui.

O primeiro aluno a subir no palco foi Hugo Pizzini, de 18 anos. Hugo concluiu recentemente o Curso Técnico em Eletrotécnica do Senai Cianorte e fez parte da equipe que criou um colete para motoboys, que utiliza a energia solar para carregar celulares e outros equipamentos eletrônicos utilizados como instrumento de trabalho. “Para isso, fui a campo, conversei com os motoboys da minha cidade, pesquisei dados, estudei o mercado. Confirmei que a ideia do colete realmente ia solucionar um problema e isso me deixou tão feliz! Se o protótipo sai do papel e começa a dar lucro, será apenas uma consequência. Em primeiro lugar, existe a satisfação de realmente criar algo que pode ajudar outras pessoas”, conta.

Entre uma apresentação e outra, o jornalista Marcos Piangers fez algumas reflexões sobre inovação, criatividade e satisfação pessoal. Seus vídeos sobre os temas têm mais de 20 milhões de visualizações na internet. “Não existe como você dar um valor para sua satisfação e sua empolgação. Essas duas coisas é o que fazem a gente se sentir vivo. Essa garotada que se apresentou hoje tem tudo a seu favor: idade, tempo, vontade. É preciso oferecer ambientes inspiradores e que permitam que essas ideias apareçam, ganhem asas e voem, que é o que o VOA quer promover. As salas de aula são os melhores ambientes para que isso aconteça”, reforçou.

Um dos momentos mais emocionantes do VOA, foi quando o aluno do curso Técnico em Automação Industrial do Senai Guarapuava, Vinicius Bail subiu ao palco. Em 2014, a trave de uma quadra de futsal atingiu Vinicius, que teve traumatismo craniano e, em decorrência do acidente, ficou cego. Como aluno do Senai, Vinicius e sua equipe desenvolveram um projeto de uma luva-guia que, por meio de sensores, auxilia o deficiente visual a evitar obstáculos. Com muito bom humor, Vinicius arrancou gargalhas e lágrimas da plateia. “A ideia surgiu de alguns prejuízos que eu causei na minha casa, ainda não aprendi a usar a bengala direito”, explicou.

Segundo ele, a luva tem dois sensores de distância. Se o obstáculo estiver do lado direito, apenas o sensor do lado direito vibra, assim como se a barreira estiver do lado esquerdo. Caso o obstáculo esteja à frente e seja mais perigoso os dois sensores vibram.

Também foi apresentado o projeto de um lápis sustentável criado por alunos do ensino médio do Colégio Sesi de Rolândia. O lápis é formado a partir do bagaço da cana-de-açúcar e, além de ficar em 1º lugar na categoria Empreendedorismo da VI Feira de Inovação das Ciências e Engenharias desse ano, os alunos foram convidados a apresentar a criação no Milset 2018, uma feira internacional de ciências que acontecerá em Fortaleza.

Já a aluna Adriane dos Santos, do curso de Design de Moda das Faculdades da Indústria, em Curitiba, apresentou a linha de produtos e turbantes que criou para pessoas que estão em transição capilar – tratamento para que o cabelo liso volte a ser cacheado. “Alisei meus cabelos por quase 20 anos até ter a coragem e a liberdade de ser eu mesma. Mandei algumas peças para meninas que faziam vídeos sobre a transição capilar e bastou uma postagem sobre os produtos para que fosse até difícil acompanhar os pedidos na minha página”, conta. Adriane hoje tem um catálogo de produtos que é atualizado mensalmente.

Além das cinco apresentações, a ex-aluna do Colégio Sesi de Irati, Elisa Seidel, também palestrou no evento. Elisa atualmente cursa Publicidade e Propaganda, mas é famosa no Youtube. Em seu canal que fala sobre games, Elisa tem mais de 92 mil inscritos. “Eu era muito tímida e o Sesi teve muita influência para eu ser mais desinibida. Quando comecei o canal, fui uma das primeiras meninas a falar sobre games na internet e o apoio dos amigos e professores foi fundamental para eu continuar”, lembrou.

As palestras e apresentações do aluno ficarão disponíveis no canal  www.sistemafiep.org.br/voa/.

As matrículas para os Colégio Sesi, cursos do Senai e as inscrições para o vestibular das Faculdades da Indústria no Paraná estão abertas. Para mais informações acesse o site sistemafiep.org.br/educação.

Exposição

Uma exposição para apresentar a metodologia do ensino do Sistema Fiep, que tem o aluno no centro da aprendizagem, foi montada para o evento e fica disponível para visitação até o dia 2 de dezembro, das 11h às 20h nos dias de semana e das 9h às 15h aos sábados. A exposição foi instalada no hall do prédio principal do Campus da Indústria, que fica na Av. Comendador Franco, 1341.