Semana da Indústria consolida Fiep como instituição que se interioriza e une empresários paranaenses

Festividade em Arapongas, nesta sexta (26), fechou a programação no interior do Estado; presidente da entidade destacou sentimento de esperança e persistência dos industriais para que país supere a crise

Com uma solenidade em Arapongas, nesta sexta-feira (26), a Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) fechou a programação da Semana da Indústria 2017 no interior. Desde segunda-feira (22), o presidente da entidade, Edson Campagnolo, percorreu todas as regiões do Estado, comandando celebrações marcadas pela união do setor industrial e por homenagens a empresários que se destacam por sua contribuição para o desenvolvimento do parque fabril paranaense. Para Campagnolo, apesar da indignação demonstrada pelos industriais diante da grave crise política e econômica vivida pelo Brasil, o sentimento comum do empresariado ainda é de esperança em dias melhores para o país em um futuro próximo.

“Aqui em Arapongas fizemos a última parada de uma semana fantástica no aspecto de participação e comprometimento das pessoas”, disse o presidente da Fiep. Para ele, a expressiva presença de lideranças industriais nas solenidades em todas as regiões reforça o papel mobilizador da entidade. “É o sexto ano em que realizamos esta caravana da Semana da Indústria, o que consolida a Fiep como uma instituição que se interioriza e reúne o setor industrial, especialmente neste momento de dificuldades atravessado pelo país”, explicou.

Justamente pela crise econômica, agravada pela instabilidade política gerada com as últimas denúncias de corrupção envolvendo o presidente da República, Campagnolo destacou que o sentimento geral percebido entre os empresários da indústria paranaense foi de indignação. “Ao mesmo tempo, ficou muito claro que os industriais têm esperança e estão dispostos a continuar trabalhando para que nosso país se recupere. Como paranaenses e brasileiros, também nos animamos, porque este momento de tristeza para o país é também um momento de limpeza, para tirar esse pessoal da frente e termos perspectivas melhores para os próximos anos”, disse.

O presidente da Fiep também ressaltou que a Semana da Indústria serviu para reforçar a mensagem de que os empresários e todos os cidadãos bem-intencionados precisam se envolver mais ativamente da vida política, ocupando cargos estratégicos ou fiscalizando a atuação de seus representantes. “O Brasil não aguenta mais tanta irresponsabilidade dessas pessoas que recebem uma procuração da população, por meio do voto, para que cuidem da condução do país. Por isso, a Semana da Indústria foi também um momento em que aproveitamos para fazer uma reflexão sobre o panorama brasileiro e dar um ânimo a essa tropa de industriais. Ainda estamos no final do primeiro semestre de 2017 e precisamos buscar um equilíbrio para que não tenhamos, ao fim deste ano, um quadro tão negativo como foi em 2016”, completou.

Além de Arapongas, as solenidades da Semana da Indústria 2017 ocorreram, uma a cada noite, nas cidades de Guarapuava, nos Campos Gerais; Dois Vizinhos, no Sudoeste; Toledo, no Oeste; e Maringá, no Noroeste. As atividades serão encerradas nesta segunda-feira (29), com uma solenidade em Curitiba, reunindo industriais da capital e região metropolitana.

Homenagens – Assim como em todas as outras festividades, a solenidade em Arapongas também foi marcada por homenagens a dois empresários da região que se destacam por sua atuação. No Norte, os contemplados com a medalha do Mérito Industrial foram José Maria Fernandes e Antonio Takao Amano.

Nascido em Portugal, em 1932, Fernandes veio para o Brasil em 1955. Começou a trabalhar como vendedor na Dias Martins Mercantil e Industrial, onde se tornou gerente. Com espírito empreendedor, fundou, em 1969, a Produtos Alimentícios Arapongas (Prodasa), fabricante de balas, doces, massas e biscoitos. A indústria comercializa seus produtos para todo o Brasil e para o exterior. Desde a sua fundação até hoje, Fernandes preside a empresa. O Grupo Prodasa é composto ainda pelas empresas Uniport Atacado e Distribuidora de Alimentos Ltda. e a Diport Distribuidora Ltda., distribuidora exclusiva da Nadir Figueiredo para todo o Paraná. A atuação empresarial e a participação em projetos sociais garantiram ao empresário o título de Cidadão Honorário de Arapongas, em 2003.

Ao receber a medalha do Mérito Industrial, Fernandes disse estar sentindo imensa alegria e agradeceu a Deus por ter guiado toda sua trajetória. E dedicou a homenagem especialmente aos colaboradores de suas empresas. “Só chegamos até aqui com ajuda da parte mais importante das empresas, que são todos os que nelas trabalham. Somos apenas o caminho a seguir, o restante é realizado por todos aqueles que trabalham no dia a dia das empresas”, declarou.

Empresário que sempre se dedicou ao desenvolvimento da sericicultura no Brasil, Antonio Takao Amano começou sua carreira profissional aos 18 anos, na Fiação de Seda Bratac, empresa fundada em Londrina por seu pai, Kenji Amano, em 1940. Na década de 1970, assumiu a direção financeira e, nos anos 1980, foi eleito presidente, permanecendo no cargo até 2014. Atualmente, aos 74 anos, preside o Conselho de Administração da empresa e atua na gestão do negócio. Além de Londrina, a Bratac tem fábrica também em Bastos, no interior de São Paulo. A indústria é a maior produtora e exportadora de fios de seda do Ocidente. Amano foi ainda presidente da extinta Associação Brasileira das Fiações de Seda (Abrasseda).

A homenagem a Antonio Amano foi entregue a sua filha, Renata Amano, que agradeceu a todos os industriais da região pela indicação do nome de seu pai para receber a medalha. Ela destacou que o reconhecimento da Fiep coroa todo o esforço da Bratac em seus 57 anos de atuação. E também dividiu o reconhecimento com os funcionários da empresa. “Meu pai conduz com pulso firme essa empresa, mas ele nos ensinou que só chegamos até aqui graças a nossos colaboradores, a quem dedicamos esta homenagem. Sem eles não estaríamos aqui hoje”, afirmou.

About Author