Projetos e Eventos > Colégio SESI

Qual carreira seguir?

Com a aproximação das inscrições dos vestibulares, começa a dúvida sobre a escolha do curso; orientação deve ser feita desde o início do Ensino Médio

Há quem esteja estudando com um foco específico, mas a situação da maioria dos estudantes é a mesma: dúvidas sobre qual curso escolher para o vestibular.  Com a aproximação das inscrições de provas como a da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que iniciam no próximo dia 18, muitos jovens, que se deparam cedo com uma escolha tão importante – a da carreira – não sabem o que devem levar em conta na hora de fazer a sua opção, se as aptidões, ou o mercado de trabalho.

O ideal é que esse estudante comece a ser orientado desde o início do Ensino Médio – no Colégio Sesi Paraná, os alunos têm essa ajuda no Programa Trilhas, que os auxilia na escolha do curso ao longo do Ensino Médio. Desde o primeiro ano, o aluno ganha uma orientação profissional que aborda pontos como apresentação de cada uma das carreiras, teste de aptidão, vídeos, entre outros materiais.

Todos esses mecanismos do Trilhas estão sendo compilados em um aplicativo, que está em fase de testes e será lançado pelo Sesi em 2017 – exclusivo para alunos da rede. “Essa orientação vocacional já existe na rede. Justamente por serem jovens, os estudantes precisam de um trabalho intenso de orientação, onde ele descobre, inclusive, profissões que nem sabia que existiam. Com a tecnologia, veio a ideia do aplicativo, de colocar o conteúdo de uma forma que fique mais atraente ao estudante. É uma maneira lúdica de agregar essas informações”, diz a gerente de educação do Sesi Paraná, Lilian Luitz.

Jogos pedagógicos focados na orientação profissional, quiz com perguntas sobre o tema, cursos EAD e atividades reais, como visitas às indústrias, são algumas atividades propostas no programa, e também no aplicativo. Com o app, o estudante acompanhará, justamente, a sua própria “trilha”.  Portanto, até o vestibular, ele terá uma boa definição da área que mais tem a ver com o seu perfil, além de informações sobre a carreira que deseja seguir.

Fora as atividades, o aplicativo terá também um sistema de ranking, com premiações virtuais e reais (que vão desde produtos personalizados, até uma oportunidade na indústria), explica o analista técnico da gerência de educação do Sesi, Yuri Cristian Vieira Queiroz. “Nossa ideia é premiar com coisas únicas”, frisa. Além disso, a proposta tanto do programa quanto do Colégio Sesi – cuja metodologia, baseada em Oficinas de Aprendizagem, estimula o trabalho em equipe e administração de conflitos – é mostrar aos estudantes a realidade do mercado de trabalho. “Percebemos que, com a proximidade com a indústria, o aluno acaba interessado em seguir para áreas com carência de profissionais, como a de Exatas”, salienta Yuri.

Influências

Segundo Lilian Luitz, a ajuda ao estudante deve vir tanto da escola como dos pais, que precisam estimular uma escolha consciente, mas não pressionar para que o filho siga para um determinado curso. “O aplicativo irá mostrar de forma clara essa vocação do aluno, o que torna mais fácil a visualização pelos pais. Não adianta eles insistirem que o filho siga para um curso que o trabalho de orientação profissional identificou não ser a aptidão dele. Precisamos mostrar as opções, mas é necessário dar espaço para que o jovem faça uma escolha consciente, e siga em uma trilha feliz”.

Sobre o Colégio Sesi

O Colégio Sesi é a maior rede de Ensino Médio Particular do Paraná, com 55 unidades em várias cidades do estado e mais de 13 mil alunos. Criado em 2005 como iniciativa do Serviço Social da Indústria, o Colégio Sesi estimula os alunos a terem mais autonomia em relação aos seus estudos e prepara para o mercado de trabalho, desenvolvendo competências como o trabalho em equipe, com relacionamento e resolução de problemas. Desde 2014, conta também com o Sesi Internacional, que tem unidades em Curitiba, Ponta Grossa, Londrina, Maringá e Cascavel.

About Author