Senai: 73 anos investindo para transformar

Instituição se consolida com os desafios e se torna referência nacional

Manter a posição como a melhor instituição em Educação Profissional e Tecnológica, e caminhar para ser em um futuro muito próximo também um modelo nacional em Tecnologia e Inovação.

Mais que metas para os próximos anos, esses objetivos compõem os pilares do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, o Senai, que completa neste sábado (12) 73 anos no Paraná.

Ao longo desse período de atuação, o Senai teve um papel fundamental para a indústria do estado. “Graças à contribuição dos empresários e à dedicação dos milhares de colaboradores e alunos que passaram pela instituição, ela se tornou referência na formação de profissionais para o setor industrial”, assegura o presidente do Sistema Fiep, Edson Campagnolo.

Para Campagnolo, no entanto, tão importante quanto a caminhada realizada até aqui, é o papel que o Senai vai continuar desempenhando para impulsionar a indústria do estado nas próximas décadas. “Com os investimentos que estamos realizando para a implantação dos institutos Senai de Tecnologia e Inovação, a instituição reforça ainda mais seu propósito de prestar todo o apoio necessário para que nossa indústria se torne cada vez mais competitiva e contribua de fato com o desenvolvimento do Paraná e do Brasil.”

Marco Secco, diretor do Senai no Paraná, ressalta que “o Senai cumpre sua missão quando se mostra o maior complexo privado de educação profissional do mundo, possui parceiros estratégicos, nacional e internacionalmente, e, apesar do cenário econômico, consegue colocar em operação institutos e estruturas que garantem a qualidade de produtos e de serviços das indústrias para trazer benefícios à sociedade”.

Estrutura

O Senai no Paraná conta atualmente em sua estrutura com 51 unidades fixas e mais de 300 móveis, distribuídas pelo estado. Com a oferta de cursos de Iniciação Profissional, Aprendizagem Industrial, Qualificação Profissional, Técnicos, Aperfeiçoamento Profissional nas modalidades presencial ou a distância, e também cursos superiores em graduação tecnológica e pós-graduação, a instituição realizou no ano passado 320 mil matrículas, sendo que R$ 300 milhões foram destinados para a Educação Profissional. Em seus mais de 70 anos, o Senai no Paraná já formou cerca de 50 mil estudantes nos cursos técnicos da instituição.

E com o compromisso de acompanhar as necessidades de modernização, a entidade também presta apoio às indústrias, com seus 8 institutos de Tecnologia e Inovação, oferecendo serviços técnicos e tecnológicos como consultorias e ensaios laboratoriais industriais. Em 2015, R$ 31 milhões foram investidos em tecnologia e inovação e em 15 laboratórios metrológicos, que integram o complexo tecnológico e são dedicados a áreas exclusivas para atender as regiões onde estão instalados, e a toda a rede Senai, que se transforma na maior rede privada de laboratórios do Brasil, alicerçado no sistema de gestão da qualidade, com laboratórios acreditados.

A divulgação do recente ranking Top 10, do Departamento Nacional do Senai, apontou que entre os mais de 80 institutos de Tecnologia do país, quatro paranaenses figuram entre os dez melhores em desempenho.

Transformação

Segundo Marco Secco, a importância do Senai se traduz em um legado que vai além do apoio às empresas. “Está também na transformação que provoca na vida das pessoas que se ligam à instituição, sejam alunos, profissionais, empresários ou colaboradores”, diz.

Exemplo de quem teve a vida transformada é Ademir José Fiametti, atualmente o colaborador contratado há mais tempo pelo Senai. No início da década de 70, Fiametti atuou como menor aprendiz na instituição. O primeiro desafio veio logo em seguida com um processo seletivo, em que conquistou uma vaga de instrutor. Com o passar dos anos, deu outros passos significativos, até alcançar a gerência da unidade de Toledo, no Oeste do estado.

“Estamos sempre acompanhando o crescimento e o desenvolvimento industrial da Região Oeste, na busca constante por novos projetos e parcerias com os setores público e privado. Assim o Senai vai se estruturando para fazer frente às exigências das indústrias na qualificação dos trabalhadores”, constata.

About Author