Sesi e Senai Paraná premiam vencedores da Mostra Inova

Os projetos foram selecionados entre mais de 70 participantes da Mostra. As fotos podem ser conferidas em localhost/agenciafiep . Clique em fotos e título 3º dia da Olimpíada do Conhecimento

Os vencedores comemoram os resultados, junto com profissionais do Sesi e do Senai

O Sesi e o Senai Paraná realizaram quinta-feira (7) a solenidade de premiação aos projetos vencedores da Mostra Inova 2011. No total concorreram 52 projetos inovadores desenvolvidos por alunos, professores e técnicos das duas entidades, nas categorias produto, serviço e processo. Além destes, participaram 18 “casos de sucesso”, que são projetos desenvolvidos por indústrias em parceria com profissionais do Sesi e do Senai e que já se transformaram em produtos inovadores.

Os projetos ficaram expostos para a visitação do público que acompanhou a etapa de Curitiba da Olimpíada do Conhecimento, que aconteceu no Complexo Sesi/Senai CIC. Eles foram avaliados por mais de 60 profissionais de indústrias, de instituições e do mercado. Os três primeiros lugares de cada categoria, mais o projeto eleito pelos visitantes serão expostos na segunda etapa da Olimpíada do Conhecimento, que acontece de 1º a 5 de agosto, em Ponta Grossa.

Primeiros lugares dos projetos de alunos, professores e técnicos:
Categoria Serviço: O projeto de criação do Selo Qualidade Bonés de Apucarana ganhou a medalha de ouro. O projeto foi desenvolvido pelo Sesi e o Senai do município e tem o apoio do Sindicato das Indústrias do Vestuário de Apucarana e Vale do Ivaí e do APL Bonés de Apucarana.

“O selo irá distinguir a empresa pelos critérios da qualidade, do cuidado ambiental e responsabilidade social, neste caso a partir de projetos relacionados aos Objetivos do Milênio”, explicou Marlene Mariotto Gaspar, do Senai Apucarana. O regulamento está pronto e o projeto vai começar a ser implantado.

O segundo lugar desta categoria foi para o projeto Jardim sensorial como ferramenta para a Educação Ambiental, do Colégio Sesi Pato Branco.  O projeto permite que os alunos tenham contato com a natureza e aprendam princípios de sustentabilidade através de um jardim sensorial, composto por plantas nativas, ornamentais e aromáticas.

Inovação em educação ambiental é também o foco do projeto Minha Oficina é ECO, do Colégio Sesi Ponta Grossa, terceiro lugar em inovação de serviço. O objetivo é reciclar o papel toalha utilizado (para secar as mãos) no próprio colégio e reutilizar o papel reciclado na confecção dos trabalhos escolares.

Categoria Processo: O Sesi e o Senai de Apucarana arrebataram o primeiro lugar, também, na categoria processo, com o projeto Exaustor Eólico/Geração de Energia. A função primária do exaustor é eliminar a má circulação do ar dentro de um ambiente. Os alunos do Colégio Sesi e do Senai aprimoraram o exaustor: o equipamento ganhou um eixo, ligado a uma polia, que por sua vez, é interligada (através de uma correia) a um motor de corrente contínua. Quando o exaustor eólico gira, o mecanismo movimenta e gera energia elétrica para o motor.

O segundo lugar da categoria inovação de processo foi para o Sistema de Eliminação do Chorume produzido por lixo orgânico, apresentado pelo aluno Orlando Bruno Neto, do curso de biotecnologia do Senai Maringá. O sistema retém o chorume e o transforma em vapor, que é filtrado antes de ser liberado na natureza. “Um sistema barato que as prefeituras podem utilizar para eliminar o chorume e aproveitar a compostagem do lixo orgânico como fertilizante para produção de mudas, plantio de árvores e vegetação de parques e praças”, disse o coordenador do programa ProCidade, da Prefeitura de Maringá, Diniz Afonso, que visitou a mostra nesta quarta-feira.

O Colégio Sesi de Bandeirantes ficou com o terceiro lugar com o projeto Eureka Feira de Engenhocas, que incentiva a criatividade dos alunos e é um sucesso na região. “Os alunos são estimulados e desafiados a desenvolver engenhocas e também ações relacionadas aos Objetivos do Milênio”, explicou a professora Maria Juliana Santin.

Categoria Produto: O projeto Bebida Láctea Fermentada com Soja Enriquecida com Ômega 3,6 e Colágeno foi o vencedor em inovação de produto. O projeto é resultado do trabalho de conclusão de dois alunos do curso técnico de Alimentos, do Senai CIC. “Não há produto similar no mercado com os mesmo ingredientes e que possua a mesma funcionalidade”, disse Jheferson Luiz Gabriel, um dos responsáveis. A próxima etapa, segundo Gabriel, é patentear a inovação.

O segundo lugar nesta categoria ficou com o projeto Urnas Funerárias, desenvolvido pelo Senai de Telêmaco Borba, dentro do projeto HPI, vencedor no grupo dos casos de sucesso.

Já o projeto Sistema para Automação da Indústria Química de Domissaneantes, desenvolvido pelo Senai Londrina, garantiu a terceira colocação em inovação de serviços. A proposta é criar um equipamento composto de software e hardware, que se comunicarão através de uma interface eletrônica.

Vencedores casos de sucesso Sesi
A parceria entre empresários, indústrias e entidades é o aspecto inovador do projeto Centro de Educação João Paulo II, que garantiu o primeiro lugar entre os projetos realizados em parceria com o Sesi. Localizado em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, o Centro atua por meio da educação para gerar mais produtividade e melhorar as condições sociais da comunidade local.

A entidade beneficia alunos da escola infantil, entre três e cinco anos de idade (selecionados pelo critério da renda familiar) e alunos da Escola Municipal Julia Wanderley, que, em regime de contraturno, participam das atividades ofertadas pelo Sesi Paraná – oficinas de educação nutricional, artes marciais, música, inglês, artes, entre outras. O Grupo Bom Jesus oferece apoio pedagógico e 160 cidadãos, grande parte empresários, e as empresas Volvo, Vivo, ALL e Silea são doadores voluntários.

O projeto Idioma Sob Medida garantiu a segunda colocação entre os projetos desenvolvidos em parceria com o Sesi. O projeto oferece o ensino do inglês e do espanhol para atender necessidades específicas das indústrias. O caso de sucesso apresentado na mostra foi uma parceria com a empresa Fecial Indústria e Comércio e o Sindimetal Paraná. Foi ministrado aos trabalhadores da empresa o curso de inglês específico para o trabalho com a máquina Flexus. A capacitação propicia aos trabalhadores competências exclusivas, que ampliam as condições de empregabilidade.

Já o terceiro lugar ficou com o projeto Canteiro das Letras, do Sesi Cascavel e da Construtora PPN, daquele município. Trabalhadores do setor da construção – pedreiros, carpinteiros, mestres de obras e serventes – tiveram a oportunidade de elevar o conhecimento em aulas ministradas no próprio canteiro de obras.

O projeto foi aprovado pelo Edital Senai/Sesi de Inovação- 2009. Em março de 2010, a construtora Saraiva de Rezende também se integrou ao projeto. O Canteiro das Letras leva aos trabalhadores um ensino contextualizado, abrangendo ética, cidadania, sustentabilidade, desperdício, segurança no trabalho e orçamento familiar, entre outros temas, e mais dois módulos complementares: “Trabalhando com a leitura e a escrita” e “Trabalhando com números e cálculos”.

Vencedores casos de sucesso Senai
O primeiro lugar ficou com a Madeira Plástica, da Madeplast, de Curitiba. Resultante de uma liga de resíduos industriais de plástico e de resíduos de madeira, o novo produto se destina a construção civil de alto padrão e arquitetura de estilo, contribuindo para a redução do passivo ambiental. O Senai-PR é um dos parceiros do projeto, através de sua unidade da entidade São José dos Pinhais, que apoiou o trabalho com a madeira. Além disso, o projeto recebeu também recursos do Edital Senai/Sesi de Inovação.

O segundo lugar entre os projetos desenvolvidos em parceria com o Senai ficou o Hotel de Projetos Inovadores (HPI) de Telêmaco Borba e a prefeitura daquele município. O objetivo do projeto é o desenvolvimento de produtos inovadores de madeira, matéria prima abundante na região, e fomentar o empreendedorismo e o surgimento de novas empresas locais.

O HPI, incubadora que apóia o desenvolvimento de projetos inovadores, abrigou cinco projetos propostos pelos empreendedores locais, que se transformaram em novos produtos: a cama bi-partida dotada de mecanismo que permite a elevação da cabeceira (dando mais conforto a pessoas doentes, idosas, obesas); painel decorativo com lâminas recortadas; artefatos de madeira e urna funerária. 

Em terceiro lugar ficou o projeto desenvolvido pela Movelaria Paranista junto com o Núcleo de Design do Senai-PR. Trata-se da Linha de Móveis com Design Seguro, fabricados dentro do princípio da sustentabilidade, desde a matéria prima, até o produto final. Os móveis contribuem para a redução de furtos e a ampliação da segurança nos espaços de hotéis, de gastronomia e eventos. Os móveis já foram lançados no mercado.

 

About Author