Editorias Fiep > Educação

Fórum apresenta as boas práticas das vencedoras do PSQT

O presidente do Sistema Fiep participou do encontro e convidou as empresas a formarem uma rede para alinhar a responsabilidade social corporativa com as metas do milênio

As empresas narraram as boas práticas com as quais conquistaram o primeiro lugar nacional do Prêmio sesi Qualidade no Trabalho (Rogério Theodorovy)

As empresas paranaenses Volvo do Brasil, Pormade Portas de Madeira, a Amcor Flexibles, a Johnson Controls, Angelus Produtos Odontológicos, Sonhart Confecções e Consórcio CCPR-Repar participaram quinta-feira (5) de maio, do Fórum das Empresas Vencedoras do Prêmio Sesi Qualidade no Trabalho, promovido pelo Sesi-PR, no Cietep, em Curitiba. Elas apresentaram as suas boas práticas em responsabilidade social, com foco na qualidade de vida do trabalhador e no ambiente de trabalho, que lhes deram o título de campeãs e de vice-campeãs brasileiras do PSQT, na edição de 2010, finalizada em abril deste ano.

Ao abrir o encontro, o presidente do Sistema Fiep, Rodrigo da Rocha Loures, enalteceu as empresas, lembrando que o fórum permite a troca de experiências no campo da responsabilidade social corporativa, que é considerado, hoje, a fronteira da gestão empresarial moderna. “Vocês apresentam exemplos concretos, que são a melhor forma de educar e disseminar orientação”, afirmou Rocha Loures, aos representantes das dezenas de empresas presentes no evento.

O presidente do Sistema Fiep convidou as empresas somarem esforços em torno dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM). Os ODM são metas pactuadas pela ONU e 189 países, no ano 2000, para priorizar o combate a fome e extrema miséria até 2015, por meio de programas nas áreas de renda, educação, gênero, saúde e meio ambiente. Ele lembrou que o Movimento Nós Podemos Paraná (articulado pelo Sistema) tem mais de 100 mil voluntários e núcleos em praticamente todos os municípios, atuando em projetos relacionados às metas.

“O desafio é fazer com que o empresariado se torne protagonista desse processo”, disse ele. A idéia, segundo Rocha Loures, é que os projetos sociais das empresas sejam alinhados com as metas do milênio e que sejam desenvolvidas redes sociais redes sociais entre executivos e empresários para disseminar o conceito e trocar experiências de boas práticas. “Com essas iniciativas será possível construir uma poderosa cadeia de colaboração, que sirva de espinha dorsal para os demais setores”, explicou Rocha Loures.

Ele propôs que as 260 empresas que se inscreveram no PSQT nesta edição formem o grupo inicial desta rede social. “As empresas do PSQT têm vocação para iniciar e disseminar essa rede. E as vencedoras do prêmio têm vocação natural para liderar esse processo”, afirmou Rocha Loures. “Convido as empresas a se conversarem com o Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial para aprofundarem esse diálogo e a iniciar o planejamento das ações propostas.”

Participaram do evento o presidente do Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial (CPCE), Victor Barbosa; o diretor-superintendente do Sesi-PR, José Antonio Fares; a gerente de Gestão Social, Sônia Beraldi de Magalhães, e gerentes das demais linhas de ação da entidade.

Boas práticas – As empresas foram avaliadas de acordo com o porte (micro/pequena, média e grande), em seis áreas temáticas: cultura organizacional, gestão de pessoas, inovação, educação e desenvolvimento, ambiente de trabalho seguro e saudável, e desenvolvimento socioambiental.

 A gerente de Recursos Humanos da Pormade, de União da Vitória (média empresa), Hermine Luiza Schrainer, e a representante da Johnson Controls, de São José dos Pinhais (grande empresa), apresentaram as respectivas boas práticas, com as quais conquistaram o primeiro lugar nacional do PSQT, pela boa prática de “educação e desenvolvimento”. Luciana Sana SaffaroBueno, falou sobre a Amcor, de Cambé (média) e Dante lago, da Volvo, de Curitiba (grande), apresentaram seus programas com os quais conquistaram o primeiro lugar em “ambiente de trabalho seguro e saudável”.

Maria Ester Falaski apresentou as boas práticas da Ângelus Indústria de Produtos Odontológicos, de Londrina (pequena empresa), que foi vice-campeã em duas áreas temáticas – “cultura organizacional” e “inovação”.

Camila Ota Hisayasu narrou a boa prática da Sonhart, de Londrina (média empresa), vice-campeã nacional em “ambiente de trabalho seguro e saudável”. Na categoria grande empresa, o Consórcio CCRP – Repar, de Araucária, foi vice-campeão em “cultura organizacional”. A experiência foi narrada por Aline Sanhotene Macedo Cury. Já Rubens Cieslaki narrou a boa prática da Volvo do Brasil, que conquistou também o segundo lugar nacional em “educação e desenvolvimento”. 

Conheça as boas práticas que conquistaram o primeiro lugar 

Amcor Flexibles Brasil Ltda (média empresa)

Primeiro Lugar em Gestão de Pessoas

Desde sua criação, a empresa conta com vasto Plano de benefícios ofertados aos seus colaboradores, muitos extensivos aos dependentes. O objetivo é criar ambiente de trabalho seguro e saudável, onde o colaborador se sinta respeitado e cuidado com o atendimento de suas necessidades físicas (benefícios) e psicológicas (programas motivacionais).

Pormade Portas de Madeiras Decorativas (média)

Primeiro lugar em Educação e Desenvolvimento

O programa “Educação para a Empregabilidade” começou em 1994, com o objetivo de preparar colaboradores e familiares para as oportunidades de crescimento dentro da empresa. O programa é estruturado em três pilares: educação básica (ensino fundamental e médio), o programa de inclusão digital  e a atividade Aprender a Fazer e Empreender (que prepara familiares e comunidade para o mercado de trabalho). A participação no programa é espontânea, sem qualquer custo, pois a empresas subsidia 100% das atividades. Até hoje já foram beneficiadas 3.300 pessoas.

Johnson Controls (grande)

Primeiro lugar em Educação e Desenvolvimento

O Centro de Capacitação Operacional foi criado para que a empresa conseguisse acompanhar o cenário de busca contínua por competitividade e adequação aos requisitos de sustentabilidade, como também buscar desafios ainda maiores em relação aos indicadores de produtividade e eficiência. Os principais objetivos do CCO são: formar profissionais com conhecimentos, habilidades e atitudes para exercer com excelência sua  função e contribuir para a sustentabilidade do negócio da empresa e promover a inclusão social de pessoas da comunidade, contribuindo para a qualificação para o mercado de trabalho e para o desenvolvimento do País.

            Volvo do Brasil

Primeiro em Ambiente de Trabalho Seguro e Saudável

Quando chegou ao Brasil, há 30 anos, a Volvo trouxe uma postura inovadora no relacionamento com os funcionários. Foi pioneira em iniciativas como jornadas de 40 hs semanais e a participação dos empregados nos lucros. Na fábrica, criou as Equipes Autogerenciáveis (EAgs), institui a co-responsabilidade pelo sucesso da empresa. Em 1993 todas essas atividades foram agrupadas no Programa Volvo de Qualidade de Vida (PVQV), que mantém, de maneira sistemática, organizada e baseada em princípio holístico de entender o indivíduo, um conjunto de práticas para os empregados e dependentes, com o objetivo de motivá-los a adotar e manter aspectos positivos de saúde global.

 

 

About Author